57200-x-dicas-para-fazer-gestao-de-riscos-em-projetos-de-ti

Quando se trata de gerenciamento de projetos de TI, são muitos os desafios enfrentados diariamente para manter todas as atividades nos trilhos e entregar um serviço de qualidade. E, para conseguir fazer entregas com o menor número de erros possível é preciso contar com uma boa gestão de riscos.

Afinal, como é feita a gestão de riscos em projetos de TI?

O gerenciamento de riscos nada mais é do que identificar e mapear os possíveis problemas que podem aparecer durante a realização do projeto, determinando um plano de ação com medidas preventivas e corretivas para a eventualidade de cada um deles ocorrer. Se um bom planejamento é tudo na hora de lidar com imprevistos, fazer a análise dos riscos envolvidos também é essencial.

Porém, nem sempre os problemas podem ser evitados e, na eventualidade de algum se tornar real, contar com um gerenciamento dos riscos bem feito irá te mostrar como lidar e minimizar o impacto negativo no projeto.

Assim, para que você saiba como fazer sua gestão de riscos em projetos de TI, montamos uma lista com um passo a passo! Veja só:

1. Faça o diagnóstico de riscos

Para prevenir ou se proteger de um risco é preciso antes conhecê-lo. Neste momento, existem três perguntas chaves que devem ser respondidas sobre cada etapa de desenvolvimento do projeto para conhecer os riscos e o seu potencial de impacto. São elas:

  • O que pode acontecer?

  • Qual a probabilidade de acontecer?

  • Quais as possíveis consequências?

2. Analise as vulnerabilidades

A análise de vulnerabilidades é a identificação de possíveis falhas que podem vir a gerar erros no projeto. Em sistemas essas falhas podem ser causadas por má configuração, erro de compilação ou mesmo qualquer falha humana ou de planejamento.

Com o diagnóstico dos riscos e a análise de vulnerabilidades em mãos, você terá um mapa de tudo que pode causar problemas em seu projeto.

3. Elabore um plano de contingência

A visão completa dos possíveis problemas que podem acontecer é primordial para elaborar o chamado plano de contingência, que é uma listagem das ações que devem ser tomadas caso os riscos ocorram.

Considerando que todos estamos sujeitos a imprevistos, saber previamente o que deve ser feito caso algo aconteça nos possibilita economizar tempo e reduzir os possíveis danos causados. Por isso, é fundamental identificar também quais passos serão necessários para conter os impactos causados por uma eventual falha.

4. Identifique prioridades e teste o quanto antes

Depois de feito o diagnóstico e elaborado o plano de contingência, você conseguirá enxergar o cenário como um todo e identificar que alguns riscos em particular dependem de ações imediatas no projeto. Nesse caso, é preciso avaliar o grau de impacto desses riscos e buscar testá-los o quanto antes.

Por exemplo, se seu projeto depende de uma tecnologia totalmente nova da qual não se tem muita informação, é interessante testar essa parte do projeto o quanto antes. Assim, se algo der errado, soluções alternativas — que você mapeou lá no seu plano de contingência — poderão ser aplicadas e evitar maiores sustos.

E aí, curtiu nosso post? Entre em contato conosco e descubra como podemos ajudá-lo na prevenção de riscos nos seus projetos de TI!

Escrito por Testing Company