Em um ambiente tão volátil tecnologicamente, uma gestão da tecnologia eficiente e capaz de trazer resultados se faz necessária.

Diante dessa realidade, é preciso que o gestor se mantenha atento aos fatores internos e externos da empresa para que possa escolher as alternativas mais acertadas em relação à realidade organizacional da qual participa.

Sendo assim, as lideranças devem estar devidamente subsidiadas para que sejam capazes de exercer o controle dos processos, pois quanto melhor o entendimento, melhores serão as ações.

Acompanhe os tópicos seguintes sobre o processo decisório na gestão da tecnologia!

O que é processo decisório?

O processo decisório é um dos principais movimentos de uma organização e quando bem fundamentado se torna decisivo para o sucesso da empresa.

Dentre as suas atividades estão avaliar o cenário, as variáveis envolvidas e as melhores alternativas para o negócio, ou seja, o caminho mais adequado que a empresa deva seguir. Afinal, é preciso estruturar uma boa estratégia competitiva para tomar as decisões assertivas para obter o melhor desempenho.

Sabendo que a gestão da tecnologia está em constante desenvolvimento, possuir um processo decisório bem estruturado é indispensável, sendo que esse deve começar pela identificação das demandas e atender às diferentes plataformas e tendências.

Etapas do processo decisório

O processo decisório envolve pelo menos 05 etapas, sendo elas:

1. Reconhecimento

Essa etapa consiste em reconhecer ofensores e oportunidades. É essencial, pois, se não for bem realizada, todos os esforços de uma equipe serão em vão. Também é considerada a mais difícil das cinco.

2. Elaboração

A elaboração compreende o levantamento das alternativas que podem ser colocadas em prática para satisfazer a necessidade de agir. É preciso definir opções, afinal, se elas não existem, não há decisão a ser tomada.

Para facilitar a segunda etapa, há a possibilidade de usar uma ferramenta chamada de “árvore de decisão”: um instrumento que serve para se analisar as escolhas disponíveis e suas relações.

3. Planejamento

O planejamento serve para que seja possível obter conclusões relacionadas às vantagens e desvantagens das opções consideradas.

É importante mencionar que se deve levantar os pontos positivos e negativos de todas as alternativas — evitando cair na armadilha de preterir inconscientemente determinadas escolhas.

4. Decisão e implementação

A etapa de decisão e implementação contempla decidir o que será colocado em prática. Após a decisão ter sido tomada, essa deve ser compartilhada e anunciada com confiança, do contrário poderá nascer um sentimento de insegurança na equipe.

5 – Controle

A última etapa do processo decisório é também muito importante. Afinal, não basta tomar uma decisão, é preciso avaliar sua eficácia, medir se os resultados esperados estão sendo, de fato, alcançados.

Nessa fase é preciso humildade, pois, se aquilo que se espera não é obtido, o melhor é admitir o erro e buscar rever quais são as alternativas disponíveis, retornando assim para as primeiras etapas.

Gostou das dicas para estruturar um processo decisório para melhorar a gestão da tecnologia em sua empresa?

Deixe o seu comentário e compartilhe nas redes sociais!

Escrito por Testing Company