Historicamente as organizações tentam evitar a todo custo perdas que possam impactar na sua lucratividade. Em contrapartida, atualmente ainda é possível encontrar facilmente empresas que não possuem em seus processos atividades mínimas para Garantir a Confiabilidade dos seus Produtos (entenda-se softwares, sistemas, aplicativos, etc) e por diversas vezes, esses produtos são entregues com falhas que causam insatisfação aos usuários e prejuízos para o Negócio.

Uma forma de minimizar esses aspectos é tentar “não sacrificar” a Qualidade.

Um dos significados da palavra sacrificar é “Desprezar em favor de outro”. E é exatamente isso que ocorre, pois muitas vezes a Qualidade é desprezada tendo como justificativa a falta de tempo, por exemplo.

É preciso entender que as organizações muitas vezes passam por restrições de tempo, investimento, recursos, etc. No entanto, para realizar entregas com uma boa qualidade existem várias técnicas que avaliam o comportamento de uma aplicação, verificam se o produto está executando corretamente os seus principais fluxos e atendendo de forma satisfatória seus requisitos.

Pense bem, desprezar a qualidade geralmente se torna um ciclo vicioso no qual retrabalho e reclamações do funcionamento de produtos são rotineiros.

A boa notícia é que com um pouco de criatividade e esforço é possível sim contar com produtos mais estáveis e que atendam aos objetivos de Negócio da sua organização.

Escrito por Cristiano Baumgartner